Será que alguém segura?

   Fala galera, hoje trago no texto o TOP 3 do ensino médio dos EUA, jovens que entraram na NCAA na próxima temporada. Acredito que algum deles vocês já devem ter visto em vídeos que rolam pelo Youtube, especialmente Zion Williamson que é o fenômeno dessa classe de 2018.

  O melhor calouro dos mocks que rolam pela internet, mas tomando como base o da ESPN é R.J. Barrett, da Monteverde Academy. Um ala/armador de 2,01 m e 91 Kg, nascido em Ontário no Canadá, foi MVP do Jordan Brand Classic (2016) e do Mundial de Basquete Sub-19 (2017). Na temporada 2017/18 teve médias de 50,4% de aproveitamento dos arremessos, 34,4% das bolas de três e 64,8% do lance-livre, 27.2 pontos, 8.1 rebotes, 3.8 assistências, 1.2 roubos de bola e apenas 1.5 erros. Barrett mostrou ser um jogador que sabe proteger a bola, com muita qualidade na finalização, mas que precisa melhorar seus arremessos de três pontos e os lances-livres. 

   Possuí como pontos fortes: sua envergadura, excelente em transições com passadas longas, busca o contato, possuí um raro nível de confiança para sua idade, excelente passador quando acionado, bom trabalho de pés, grande potencial defensivo para sua estatura, chutador, potencial playmaker, consegue criar seu próprio arremesso. Seus pontos fracos são: pernas pouco flexionadas na defesa, não faz muita força nas trocas de direção, não atingiu seu potencial explosivo, depende de sua estatura e capacidade de finalização mais do que de sua explosão para pontuar, diminuiu sua explosão, passa em momentos errados, lance-livres. 

   O jovem já assinou com a Universidade de Duke, depois de receber proposta de 13 universidades.

   O segundo colocado nos mocks é Zion Williamson, jogador da Spatanburg Day apesar de não ser o primeiro do ranking é disparado o atleta mais cobiçado dessa classe. O jovem ala/pivô tem 17 anos, 2,01 m e 123 Kg, foi All-American na temporada de 2018, com médias de 31.6 pontos, 11.3 rebotes, 2.9 assistências, 2.9 roubos de bola e 2.9 tocos por partida. Sua explosão e atleticismo são simplesmente absurdos para um jovem de sua idade, o grande diferencial de seu estilo de jogo.

   Seus pontos fortes são: envergadura, explosão, velocidade e agilidade, controle corporal, habilidoso, sabe criar seu arremesso, tem bom trabalho de pés. Fraquezas: força os arremessos principalmente saindo do drible, imenso potencial para marcação pois sabe ler o jogo mas não demonstra vontade de fazê-lo, não é bom passador, procura sempre pontuar e tenta driblar com sua mão dominante sempre que possível. Apesar de ser um pouco baixo para sua posição, compensa com sua força e explosão. 

   Williamson é considerado por muitos como melhor atleta dessa classe, sua capacidade de sair do chão é absurda, por conta disso recebeu proposta de 29 universidades, optando por Duke a pouco mais de uma semana.

   Na terceira posição dessa lista está Cameron Reddish, um ala de 2,01 m e 18 anos, jogador de Westtown School, que jogou pela seleção americana Sub-19 no campeonato mundial de basquete. O jovem teve médias de 23.8 pontos, 7.6 rebotes, 3.1 assistências e 1.5 roubos de bola por partida, chama a atenção desde seus 16 anos em training camps. Seus pontos fortes são: sua envergadura e porte físico (comparáveis a Michael Kidd-Gilchrist e Harrison Barnes), atleticismo, velocidade na troca de direção e movimentos. Como pontos fracos: não sabe utilizar bem seu tamanho e porte físico, parece evitar o contato próximo a cesta, não consegue se posicionar bem na quadra, muitas vezes ficando escondido. 

   Recebeu propostas de 5 universidades e optou por Duke.

   O Coach K está bem servido pra próxima temporada ou não?

%d blogueiros gostam disto: