Sério Adam Silver?

Segundo John Chick do The Score, o comissário da NBA, Adam Silver, posicionou-se hoje como há um ano atrás. Disse que espera que os atletas da NBA respeitem o hino nacional, conforme as regras vigentes da liga.

“Minha expectativa é que nossos jogadores continuem a se manter em pé no hino”- disse o comissário após uma reunião no Conselho dos Governadores, de acordo com Scott Cacciola do New york Times. Quando questionado se algum atleta que não respeite o hino seria punido, Silver disse que seria tratado de acordo.

   A NBA exige que os jogadores, treinadores e assistentes respeitem o hino nacional dos Estados Unidos e Canadá há décadas. As regras incluem também mascar chiclete ou ficar com as mãos no bolso à medida em que os hinos são tocados. 

Na última temporada uma onda de protestos começou a emergir, depois que o quarterback da NFL, Colin Kapernick ficou ajoelhado durante a execução do hino americano. Na NBA alguns atletas encontraram uma lacuna na regra e mantiveram-se de braços dados durante o hino, mostrando sua união, algo que até então não parecia ser um problema pra liga.

   No ano passado Silver comentou sobre os hinos que manter-se em pé: “é o adequado a se fazer”. As regras sobre o hino já foram testadas uma vez, em 1996, em um momento menos turbulento politicamente o armador Mahmoud Abdul-Rauf do Denver Nuggets ficou sentado em um jogo e ficou suspenso um jogo. Na época disse que o protesto era contra a tirania do governo norte-americano.

O momento agora é muito mas delicado, o presidente Donald Trump deu declarações infelizes com relação a Kapernick e gerou uma onda imensa de protestos. Atualmente nos jogos da NFL raras pessoas respeitam o hino, os atletas, treinadores e outros membros da comissão técnica mantem-se de braços dados, ajoelhados ou sequer entram no campo durante a execução do hino como protesto pelo racismo que tornou-se recorrente nos EUA. Nessa semana o Golden State Warriors confirmou que não irá a Casa Branca fazer a tradicional visita dos campeões da NBA ao presidente, e provavelmente veremos muitos protestos, Popovich já se posicionou contrário ao presidente, Lebron é um dos líderes em defesa dos protestos, entre outros. Então podemos sim esperar muitas discussões, protestos, mas será que a NBA terá coragem de cumprir a regrar e punir seus atletas? Se isso acontecer e for realmente um jogo de suspensão e todas as equipes fizerem podemos ter rodadas que não vão acontecer, apenas uma suposição.

Esse debate vai muito além do esporte e a atitude que esses atletas têm é fantástica, mostram o descontentamento com o governo e contra todos os preconceitos. No mínimo é um dos momentos mais fervorosos politicamente falando, vamos ficar de olho no desenrolar da história, mas ela está longe do final.

%d blogueiros gostam disto: