Do Sul para todo Brasil

O texto de hoje é uma entrevista exclusiva com um atleta pelotense que trilha seus caminhos pelas quadras de basquete, Maxwell, o Max como é conhecido, joga pelo Joinville e acaba de conquistar uma vaga na NBB da próxima temporada.

Max saiu de Pelotas a alguns anos para jogar basquete, já havia passado pelo Joinville, foi campeão Sul Americano com o Brasília e agora retornou para Joinville e já conquistou uma importante ascensão para o NBB. Abaixo a entrevista e o agradecimento ao Max por sempre atender os meus convites, sucesso nessa caminhada mano, mereces muito, sempre to na torcida.

  1. Parabéns por mais uma conquista no basquete. Agora além de campeão Sul Americano com o Brasília, ajudou o Joinville a chegar ao NBB. Qual das duas conquistas foi mais marcante?

   Muito Obrigado pelo o convite de estar sendo entrevisto por você que sempre acompanhou a minha trajetoria desde os primeiros passos. 

   Ser campeão da Sulamericana foi muito importante, por se um um titulo internacional e estar com jogadores de alto nível que me ajudaram muito. Não era protagonista da equipe, participava pouco da rotação do time, mas o pouco que eu jogava conseguia desfrutar ao máximo. Mas esse segundo lugar da Liga Ouro está com o gostinho de primeiro lugar, por tudo que passamos durante esses 6 meses de campeonato, acordando as 4:30 da manhã para ir treinar todos os dias, o elenco é sensacional. Tive um bom tempo de quadra, ganhei mais confiança e cresci durante o campeonato, realmente formamos uma família, então considero este segundo lugar mais marcante. 

  1. É a tua segunda passagem pelo Joinville? Como é a tua relação com o clube?

   Sim já tinha passado por aqui, fiquei durante 4 anos de 2009 à 2013 e a minha relação com a cidade, com os meus amigos de time é muito boa. Me sinto realmente em casa quando estou aqui. 

  1. Quais são os planos para o futuro? Ainda tens ideia de chegar a NBA?

   Meus planos para o futuro seria continuar jogando aqui em Joinville, mas tenho propostas de outro times, então é esperar e ver o que vai ser melhor. Falando de NBA acho que a maioria dos jogadores sonham em estar lá, mas sabemos que é um mercado muito difícil de se entrar, sonho sim mas com os pés no chão. 

  1. Qual a expectativa para disputar o NBB?

   Disputar o NBB, todos que estão no Brasil querem jogar, é o principal campeonato de basquete e em um nível muito forte. Sei que vou ter que treinar cada vez mais, para estar em uma condição boa para pode competir, mas as expectativas são as melhores possivéis, de fazer um ótimo campeonato e chegar o mais longe possível. 

  1. Com certeza é um dos jogadores de basquete de Pelotas que levaram o nome da cidade mais longe no esporte. Como te sentes com essa marca?

   Gostaria que eu não fosse um dos poucos que conseguiram sair de Pelotas para jogar basquete. A cidade tem uma gurizada que ama esse esporte, e foi por eles que consegui chegar até aqui. Me sinto feliz e triste ao mesmo tempo, porque conheci e conheço muitos outros e poderiam ter saído daí e ter jogado a nível nacional. 

  1. Como vês o crescimento do basquete em nosso país? Percebes mais pessoas envolvidas com a modalidade e o quanto a NBA, e NBB influenciam nisso?

   Está crescendo sim, ainda que em regiões isoladas mas já é um grande passo, com a NBA se envolvendo mais no basquete brasileiro o NBB só vem a ficar mais consolidado, já vamos para o NBB10 então a evolução está bem clara.

%d blogueiros gostam disto: