“Isto É Dinheiro” destaca o crescimento do Basquete Brasileiro

O site “Isto É Dinheiro” fez uma excelente matéria destacando o crescimento do basquetebol brasileiro, eles mencionaram a importância do trabalho da NBA junto com a Liga Nacional de Basquete (entidade que comanda o NBB), que em sua nona edição terá um campeão inédito, já que sábado dia 17 é o Jogo 5 entre Bauru x Paulistano.
Em 2012 a NBA abriu um escritória na “terra do futebol” para aumentar ainda mais a sua popularidade no país, e com muitas ações inteligentes e com a parceria da LNB isso vem dando certo. Já aconteceu três vezes do país participar do “NBA Global Games”, em 2013 tivemos no Rio de Janeiro Chicago Bulls vs Washington Wizards, em 2014 Cleveland Cavaliers vs Miami Heat e em 2015 Orlando Magic vs Flamengo. Em 2014 o Flamengo excursou nos EUA fazendo 3 amistoso conta franquias americanas (Phoenix Suns, Orlando Magic e Memphis Grizzlies ) e em 2014 foi a vez do Bauru Basket jogar contra o New York Knicks e Washington Wizards. Em 2016 não houve “NBA Global Games” devido aos Jogos Olímpicos no Rio. Nas finais deste ano, a NBA montou a “Casa da NBA” no coração da cidade de São Paulo para reunir os fãs para assistir aos jogos entre Golden State Warriors. Estas ações mostram a importância do Brasil para a NBA, já que somos o segundo mercado no mundo, só perdendo para a China. Outro dado importante que mostra o crescimento da modalidade no país é a “independência dos clubes para a disputa dos campeonatos estaduais e nacional, cada vez menos as equipes dependem de seus sócios e de prefeituras para poder arcar com as despesas, cada vez as equipes estão conseguindo abocanhar parceiros privados, um exemplo disso é a equipe do Mogi das Cruzes/HELBOR, cidade da grande São Paulo, que desde de 2012 quando retornou o seu projeto não parou mais de investir. Seu patrocinador máster é a incorporadora HELBOR da própria cidade e além disso conta com 12 outros patrocinadores. Os resultados em quadra também estão contribuindo para esse avanço. Em 2016, vieram os títulos paulista e sul-americano. No NBB, o Mogi é o líder em público há três temporadas, com uma média de 3 mil pessoas por jogo.
“Sob a influência da NBA e da maior interação entre os próprios clubes do NBB, o time mogiano está investindo em novas frentes para reforçar o caráter de entretenimento nos jogos e, ao mesmo tempo, criar outras fontes de receita a partir da exploração de sua marca. Durante as partidas, por exemplo, a equipe usa recursos de iluminação como um diferencial na apresentação dos jogadores, além de manter uma loja para a compra de produtos oficiais no ginásio. Regatas, agasalhos, bonés, canecas e diversos outros itens oficiais também são vendidos na loja física inaugurada em julho de 2016, em uma parceria com a confecção esportiva Overtime, da região.
Em média, o Mogi já vende cerca de 3 mil camisetas por temporada. “Todos os times têm ainda um grande caminho a percorrer, mas é fato que o basquete brasileiro deu um grande salto nos últimos anos”, diz Nilo Guimarães, secretário de Esporte e Lazer de Mogi das Cruzes, armador titular da seleção brasileira de basquete na década de 1980 e um dos gestores do time mogiano. Ele destaca, por exemplo, um estudo anual conduzido pela LNB, que mapeia os pontos positivos e o que deve ser melhorado em cada equipe da liga, em temas como gestão, estrutura para jogadores, marketing, captação de patrocínios e entretenimento. Essa visão é um reflexo direto do impacto do contato com a NBA.

%d blogueiros gostam disto: