EUA é campeão sul americano feminino sub 16

Campeã de forma invicta! A seleção norte americana feminina sub-16 leva para casa o 4° troféu dourado entre cinco campeonatos disputados. O adversário da final nesta edição foi a equipe do Canadá que também não havia perdido na competição, até o jogo da final. O evento realizado em Buenos Aires, Argentina, não contou com a seleção brasileira que ainda cumpre suspensão sobre o caso FIBA.

A vitória exclamativa por 91 a 46 se concretizou apenas no segundo tempo de jogo. Antes do fim do primeiro quarto, o Canadá anotou 9 pontos de forma rápida e cortou a liderança dos EUA para 27 a 21. Com um segundo quarto arrasador, os EUA anotaram 20 pontos seguidos e foram para os vestiários liderando por 50 a 25. No decorrer da partida, as americanas conseguiram manter a diferença no segundo tempo e assim se sagrarem campeãs. A equipe norte americana conseguiu segurar o ataque canadense a apenas 29% de acerto dos arremessos de quadra, além de forçarem 31 erros, onde anotaram 36 pontos a partir destes erros.

Aliyah Boston, pivô norte americana, terminou a partida com 15 pontos e seis rebotes, obtendo assim uma média de 11.8 pontos por jogo e 8.6 rebotes e se tornando a MVP do torneio.

Tive a oportunidade de conversar com Paige Bueckers, ala-armadora, e Sam Brunelle, pivô, da seleção norte americana após a partida da final;

Rodrigo Lazarini – ”How was your first impression playing for the USA national team? How was the experience about travelling outside the USA to represent your country? As a 15 year old, how do you prepare you mind to big games like yesterday? You just finished your freshman year in HS, what do you expect for the next three years? Once again congrats on the title.”
Como foi a sua primeira impressão jogando pela equipe dos EUA? Como foi a experiência de viajar fora dos EUA para representar o seu país? Com 15 anos de idade, como você prepara sua mente para grandes jogos como o que ocorreu ontem? Você acabou a sua primeira temporada no High School, quais suas expectativas para os próximos três anos? Parabéns pelo título”

Paige Bueckers”I was just so blessed to be picked to be on this team. I was really in shock at first it didn’t really sink in until we got to Argentina. It was just really cool to travel out of country and represent our country. Just a surreal honor. I don’t really think about the games too much, I just have a mentality that we’ve prepared so much for this & this is what you play games for and opportunities like this so at the end of the day it’s more fun then nerve racking. The next three seasons I just want to build great relationships with old and new people & hope to have some success along the way”
Eu realmente fui abençoada por estar neste time. Eu estava em estado de choque no primeiro momento, a ficha não tinha caído até chegarmos na Argentina. Foi uma ótima viagem, viajar para o exterior e ainda representar o meu país. Uma honra surreal. Eu realmente não penso nos jogos em si, eu apenas tenho a mentalidade que nós nos preparamos muitos para isto e jogamos para estes momentos. Isto é realmente para o que você joga, oportunidades como essas no final do dia são mais divertidas do que nervosas. Nas próximas três temporadas e quero construir um bom relacionamento com as novas pessoas e as com quem eu já conheço. Eu espero ter algum sucesso nesta minha jornada.”

Rodrigo Lazarini”Last year you represent the USA team at the U17 world championship, what was the biggest difference on your game last year that you feel that you improved this year? You were a leader at this years team. How do you handle the ”pressure” of being named the best player of your class? Did you like Argentina, was it your first time there? You had an amazing season as a sophomore in HS, what are the goals for the next two years before heading to college?”
Ano passado você jogou o mundial sub 17 pela seleção, qual foi a maior diferença que você sentiu no seu jogo do ano passado para este? Este ano você foi a líder da sua equipe. Como você lida com a pressão de ser nomeada a melhor jogadora da classe de 2019? Curtiu a Argentina, foi sua primeira vez aqui? Você teve uma excelente temporada no High School esse ano, quais são suas metas para as próximas duas temporadas antes de chegar ao College?”

Samantha Brunelle”All of our minds were set on winning the gold. We all wanted it the same and because we all wanted it we did what we had to to win. I try not to think about the ranking or anything like that because it’s just added pressure, being the leader you have to do whatever it takes to win the game whether it’s 20 points in a game or just 10 assist. I loved Argentina it was cold but very pretty and had lots of great places to see also it was my first time here as well. My goals for next season is too continue to get better and improve my game of course as well as maybe go on a state championship run, but that will be a game by game thing.”
Todas nós estávamos focadas em vencer a medalha de ouro. Nós queríamos e estávamos atrás do mesmo objetivo, com isso tivemos que fazer tudo o que podíamos para alcançar. Eu tento não pensar sobre os rankings ou algo parecido porque apenas adicionaria uma pressão extra, sendo um líder você precisa fazer o que tem que ser feito para ganhar o jogo, seja 20 pontos por jogo ou 10 assistências. Eu amei a Argentina, estava frio, mas muito bonita, visitamos vários lugares também. Foi minha primeira vez lá. Meus objetivos para as próximas temporadas é continuar melhorando cada vez mais o estilo do meu jogo e quem sabe chegar ao título de um campeonato estadual. Mas isso será jogo a jogo.”

Sam Brunelle adicionou um recorde na competição, o de maior porcentagem de lance livre acertado, foram 93% – (14/15)

A seleção anfitriã, Argentina, venceu a Colômbia na prorrogação e ficou com a medalha de bronze. Com isso, EUA, Canadá, Argentina e Colômbia estão classificadas para a Copa do Mundo sub-17 que ocorre em 2018.

%d blogueiros gostam disto: