Deadline bem morna “melhora” Mavericks, Thunder e Raptors

O dia de ontem foi marcado pela famosa NBA Trade Deadline, na prática a data final para trocas dentro da temporada. A partir de agora, as franquias só podem se reforçar com atletas que estejam sem contrato, o que efetivamente indica que nada de muito empolgante surgirá, ainda que tenhamos jogadores por exemplo do naipe de Deron Williams em tal situação.

Se nenhuma grande estrela foi trocada, apesar de rumores que envolviam severamente Jimmy Butler e Paul George, claramente algumas franquias saíram em vantagem, em negociações bastante discutíveis. É o caso por exemplo do Dallas Mavericks que adquiriu os serviços do eficiente Nerlens Noel, cedendo ao Philadelphia Seventy-Sixers, o também pivô Andrew Bogut, além de Justin Anderson e uma escolha de primeira rodada para 2017 com proteção até a décima-oitava escolha, o que salvo um milagre improvável significa que a mesma não será exercida, sendo roteada para duas escolhas futuras de segunda rodada. Se Sam Hinkie era muito criticado por trocar atletas medianos por chances de recrutamento de segunda rodada, Jerry Colangelo “inovou”, conseguindo o mesmo mas cedendo agora um jogador de extremo potencial.

Outra negociação que beira o inexplicável envolveu o Oklahoma City Thunder (do sempre mágico Sam Presti) e o Chicago Bulls. Russell Westbrook ganhou Taj Gibson, Doug McDermott como companheiros, em duas posições cruciais no atual momento da franquia. Gibson dará maior profundidade à posição 4, além de ser mais um eficiente bloqueio para as infiltrações do “Mr. Triple-Double”, enquanto McDermott é uma opção de chute extremamente confiável, podendo ser utilizado até em combinações mais baixas principalmente com Victor Oladipo. Já em Chicago, as chegadas de Cameron Payne, Joffrey Lauvergne e Anthony Morrow, além de uma escolha de segunda rodada passam longe de justificar tal movimento, apesar do potencial a ser explorado de Payne (que terá certamente boa minutagem em razão do declínio acentuado de Rajon Rondo) e do razoável jogo ofensivo do francês.

Aquisição interessante também foi a de PJ Tucker pelo Toronto Raptors, defensor que pode vir a ser importante em eventual duelo de playoffs contra Washington Wizards, Boston Celtics e até mesmo Cleveland Cavaliers. Ceder Jared Sullinger e duas escolhas de segunda rodada ao Phoenix Suns não pode ser considerado uma “manta”, mas cabe lembrar que “McSully” não consegue reduzir seu peso, o que atrapalha demais o desenvolvimento do seu jogo. Draftado pelo Celtics quando Ryan McDonough fazia parte do frontoffice de Massachussets, tem mais uma chance de mostrar que prefere ser um BigMan a comer BigMacs.

O Suns também adquiriu Mike Scott junto ao Atlanta Hawks, ainda que seja uma aquisição que não deva fazer nenhuma diferença mais concreta. Falando nos falcões, a franquia da Georgia enviou Thiago Splitter ao Sixers, recebendo Ersan Ilyasova. Enquanto o turco vai para a incrível décima-primeira equipe na NBA em menos de seis anos de Liga, o brasileiro corre risco de dispensa, apesar do sabido apreço que o treinador Brett Brown tem por ele. Cabe dizer que para a alegria geral da torcida do Sixers, o time também ganhou na negociação um swap de segunda rodada com o Hawks, o que significa praticamente nada.

O outro brasileiro envolvido nas trocas de ontem deve realmente ser dispensado. Marcelo Huertas foi enviado para o Houston Rockets enquanto o Los Angeles Lakers recebeu Tyler Ennis, em mais um negócio de pequenas proporções. Precisando ajustar CAP, o Rockets enviou KJ McDaniels ao explodido Brooklyn Nets, que já tinha no dia anterior trocado Bojan Bogdanovic e Chris McCullough para o Washington Wizards em troca do canadense Andrew Nicholson e de uma escolha de primeira rodada no próximo recrutamento.

O interminável Roy Hibbert foi outro que também trocou de franquia, cada vez mais perdendo valor. O pivô chega ao Colorado para a rotação do garrafão do Denver Nuggets, enquanto o Milwaukee Bucks recebe uma escolha de segunda rodada. Com Nikola Jokic e Mason Plumlee, Hibbert certamente terá poucos minutos, até por sabidamente o Nuggets brigar por esta última vaga de pós-temporada no lado oeste.

No final das contas, dia muito positivo para Mavericks e Thunder e animador para o Raptors (que já havia conseguido Serge Ibaka por um preço muito barato) enquanto os torcedores de Suns e principalmente de Bulls e Sixers saem meio sem entender o que aconteceu. Cabe lembrar também do Boston Celtics, cujas expectativas recaíam sobre Butler, George ou pelo menos algo no quilate de Noel ou Danilo Galinari, e que não se moveu para lado algum. Enfim, quem trocou, trocou e quem não trocou agora só na offseason.

Continue acompanhando o Timeout Brasil e deixe nos comentários suas impressões sobre as negociações de ontem.

%d blogueiros gostam disto: