Golden Week

Entre os dias 15 e 21 de janeiro, o Golden State Warriors tinha três grandes desafios, três oportunidades de provar que realmente era capaz de vencer os melhores. E foi exatamente o que o time de Oakland fez.

A semana começou com o aguardado reencontro com o Cleveland Cavaliers em Oakland depois de uma derrota amarga no primeiro confronto da temporada por 109-108 em Ohio. Mesmo com um ataque produzindo bem, as expectativas estavam na defesa e em como iriam parar o “Big Three” do Cavs. Em um jogo dominado desde o início, o Warriors mostrou um desempenho defensivo espetacular e limitaram o time de Ohio a 49 pontos. No halftime, a vantagem da equipe de Oakland já era de 29 pontos. Kevin Love não retornou para a segunda parte da partida com um problema na parte inferior das costas. Mas, naquele momento, a performance defensiva dos donos da casa já tinha decidido o jogo. Só restava administrar a vantagem. Zaza Pachulia pegou 13 rebotes, assim como Draymond Green, ambos contribuíram com a vantagem de 58×35 em rebotes. Além disso, o time liderado por Steve Kerr limitou o Cavs a 11 assistências e forçou 15 turnovers. A vitória por 126 a 91, somada a uma performance digna de aplausos, começou a desfazer o mito de que o Golden State Warriors só derrotava times fracos e sucumbia diante dos melhores.

Outro reencontro aguardado iria acontecer novamente na Oracle Arena na quarta feira (18), onde Russell Westbrook e o Oklahoma City Thunder iriam visitar o ex-companheiro Kevin Durant pela segunda vez na temporada. No primeiro encontro entre as equipes, também em Oakland, os Warriors venceram por 122 a 96, liderados pelos 39 pontos de Durant e não esperavam menos do que isso na volta. Dessa vez, o primeiro tempo foi equilibrado: as duas equipes trabalhando bem nos dois lados da quadra. O placar de 56×56 ao fim dos primeiros 24 minutos não foi surpresa. Mas o terceiro quarto mudou essa história. O ataque dos Warriors manteve o ritmo, produzindo 37 pontos e a defesa elevou ainda mais o seu nível, limitando o time de Oklahoma a 22 pontos. No último quarto da partida, o ritmo defensivo foi mantido e, ao final da partida, a vitória por 121 a 100 foi conquistada com uma performance de 40 pontos de Kevin Durant. A equipe de Oakland novamente ofuscou uma performance sensacional do candidato ao prêmio de MVP, Russel Westbrook, que conseguiu mais um triplo-duplo produzindo 27 pontos, pegando 15 rebotes e distribuindo 13 assistências.

Outro reencontro interessante aconteceu na sexta feira (20). Em Oakland, o confronto contra o Houston Rockets foi emocionante e só foi decidido depois de duas prorrogações. Melhor para a equipe texana, que saiu com o placar positivo de 132 a 127. Dessa vez, a partida era no Toyota Center e seria um duelo interessante da linha dos três pontos. 5 dos 6 jogadores com mais cestas de 3 na temporada estavam presentes (Curry, Gordon, Harden, Thompson e Ariza). O roteiro foi parecido com o do jogo contra OKC, jogo equilibrado antes do halftime (62×57 para Golden State Warriors) e um terceiro quarto avassalador da equipe de Oakland, fazendo 37 a 22 e apenas administrando o placar no último, vencendo por 125 a 108. Novamente, a performance defensiva do Warriors precisa ser destacada. Nessa partida, limitaram Harden a 17 pontos e combateram com maestria o ponto forte do ataque dos Rockets. James Harden e Eric Gordon combinaram para 0 de 13 para bolas de 3 pontos e Trevor Ariza conseguiu acertar apenas 2 das suas oito tentativas de longa distância.

Depois de uma semana de boas atuações, o Golden State Warriors se reafirmou como melhor time da liga e deixou claro que sua força no ataque não faz com que sua defesa deixe de ser produtiva. Na verdade, os números mostram que os guerreiros de Oakland têm a melhor eficiência defensiva (número de pontos permitidos a cada 100 posses de bola), além de liderar a NBA em tocos (6.3 por jogo) e roubadas de bola (9.4 por jogo). Com um ataque poderoso e com uma defesa sólida, o Golden State Warriors segue sua caminhada em busca do título.

%d blogueiros gostam disto: