Quem são as dez melhores jogadoras da classe de 2016

A temporada do college ainda não começou, mas a TimeOut Brasil mostra aos seus leitores quem são as dez melhores jogadoras da classe de 2016 que vão estar nesta nova temporada.

Vamos estar seguindo o ranking da ESPN.

sss

 

Lauren Cox

cox

 

A ala que na sua última temporada como sênior no high school mostrou uma qualidade jogo enorme. Ela trabalha muito bem com transições da defesa para o ataque, pega bastante rebotes nos dois garrafões. Tem uma mobilidade em quadra incrível, tem bons arremessos de todos os cantos da quadra e consegue finalizar jogadas com as duas mãos.

Ela tem dificuldade de se livrar de uma marcação pressão e não é a melhor opção para quando a equipe de Baylor precisar fazer uma marcação forte. Muitas das vezes ela é dispersa neste quesito.

Honrarias:

  • Jogadora do ano da WBCA  2015-16.
  • Jogadora do ano pela Gatorade Texas em 2016.
  • Fez parte do McDonald’s All-American em 2016.
  • TABC 6A All-State em 2016.
  • Medalha de ouro em 2015 pela equipe de USA sub-19 na FIBA World Championship.
  • TABC 1st-team All-State em 2014, 2015.
  • Ela também esteve nas convocações da equipe americana para o sub-16 e 17.

Joyner Holmes
holmes

Mais uma boa ala desta classe, Holmes gosta do jogo de contato. Ela sabe usar o seu bom tamanho e físico para ajudar o seu jogo, tanto na defesa quanto no ataque. No ataque pode atuar até como uma pivô. Faz bons bloqueios e não é o tipo de jogadora que fica muito tempo com a bola, acostumada a finalizar jogadas.

Por ser uma jogadora que gosta de contato, as vezes tenta cavar faltas e isso pode atrapalhar o seu time. Também não se sai bem contra alas mais “leves”.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American em 2016.
  • TABC 6A All-State em 2016.

Crystal Dangerfield

A point guard Dangerfield é uma jogadora perigosa como sugere o início do seu nome. Ela arma jogadas com muita facilidade e com uma qualidade enorme. Tem ótimo controle de bola, boa visão de quadra e com bons passes consegue destruir defesas adversárias. Entretanto, se tudo der errado, ela consegue fazer boas infiltrações que normalmente resultam em pontos ou faltas a seu favor.

É uma jogadora muito inteligente no ataque, mas na defesa comete faltas bobas. Muito por que tem muita dificuldade em marcar.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American em 2016.
  • Jogadora do ano pela Gatorade Tennessee em 2014, 2015 e 2016.
  • Jogadora do ano Morgan Wootten em 2016.
  • Medalha de ouro em 2015 pela equipe de USA sub-19 na FIBA World Championship.
  • Jogadora Class AAA Miss Tennessee em 2015.
  • Medalha de ouro em 2013 pela equipe de USA sub-16 FIBA Americas Championship.

Sabrina Ionescu

De longe a melhor armadora da classe, Ionescu é consistente no ataque e defende muito bem. No ataque ela consegue ler bem as defesas adversárias e com isso ajuda as suas companheiras a pontuar bastante. No high school ela demonstrou ser uma líder nata, muito das vezes foi o motor da equipe. Além de armar bem, tem bons arremessos de média e longa distância. Na defesa, também se sai muito bem. Costuma ser uma “pedra no sapato” das armadoras adversárias, fazendo uma marcação pressão de qualidade e bloqueando diversos ataques.

Procurando uma deficiência dela, podemos dizer somente que não é boa nos rebotes. Muito por causa do físico e do timing.

Honrarias:

  • MVP do McDonald’s All American Game 2016, depois de quebrar o recorde de pontos (25).
  • Fez parte do McDonald’s All-American Team em 2016.
  • Jogadora do ano pela Gatorade California em 2016.
  • Jogadora do time sub-16 de USA.

 

Erin Boley

erin boley

A Boley é uma ala versátil em ambas extremidades da quadra. No ataque finaliza bem as jogadas e consegue dar uma boa opção para as suas companheiras. Já na defesa, consegue marcar bem no um contra um. Tem um bom timing para pegar rebotes.

A dificuldade que ela tem é na marcação contra alas mais fortes que costumam gostar do jogo com mais contato.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American Team em 2016.
  • Jogadora do ano de USA pela Gatorade em 2016.
  • Jogadora do ano pela Gatorade Kentucky em 2014, 2015 e 2016.

 

Alecia Sutton

aleccia sutton

Sutton é uma armadora com um poderoso ball handling e tem uma grande facilidade de finalizar a jogada depois do drible. Faz boas transições da defesa para o ataque, tem boa visão de quadra e arremessa bem de média distância.

Por ser armadora, precisa melhorar os seus passes. Normalmente se precipita nos passes e com isso cede turnovers bobos. Na defesa, não marca bem, muito preguiçosa, principalmente na marcação individual.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American Team em 2016.
  • Class 5A All-State em 2015.

 

Destiny Slocum

destiny slocum

Slocum é uma point guard que tem bom arremesso de média e curta distância. Distribui bem as jogadas e consegue usar o seu físico para se desvencilhar da marcação.

Na defesa sofre bastante contra armadoras mais ágeis e com um ataque que flutue bastante. O físico mais atrapalha do que ajuda ela em uma partida, algo que tem que ser aprimorado em Maryland.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American Team em 2016.
  • Jogadora do ano pela Gatorade Idaho em 2015 e 2016.
  • Medalha de ouro em 2015 pela equipe de USA sub-19 na FIBA World Championship.

 

Natalie Chou

 

natalie chou

 

Chou é uma ótima armadora desta classe. No high school sempre liderou a sua equipe em quadra, normalmente dando bons passes para levar as suas companheiras a chegar ao dígito duplo. Ela é excelente achando espaço para o arremesso de longa distância. Posso afirmar que Baylor fez o melhor recrutamento desta classe.

Defensivamente é boa nos roubos de bola, mas não ajuda muito quando o time precisa fazer uma marcação pressão. Ofensivamente tem recursos para fazer mais infiltrações do que ela normalmente faz.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American Team em 2016.
  • Fez parte do primeiro time da TABC 6A All-State em 2015 e 2016.

 

Leaonna Odom

leona odom

Odom é uma jogadora que tem um potencial incrível ainda para se desenvolver. Ela é muito explosiva no ataque, mesmo tendo um porte físico “franzino”. Leva grande vantagem no confronto um contra um, faz muito bem a transição da defesa para o ataque finalizando bem a jogada. Tem bom arremesso de três pontos.

Na defesa, consegue fazer bem a leitura do jogo adversário. Mas o seu porte atlético atrapalha quando joga contra atletas que buscam mais o contato e pegar o rebote não é o seu forte.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American Team em 2016.
  • Primeiro time do All-CIF em 2016.

 

Tori McCoy

 

McCoy é uma jogadora que tem tudo para ser uma das melhores jogadoras docollege. Ela é uma ala que é forte fisicamente e com uma visão de quadra espetacular. Usa o seu físico para fazer boas infiltrações e fazer bons bloqueios para dar espaço para as armadoras ficarem livres no arremesso. McCoy é uma jogadora que é muito inteligente finalizando as jogadas e mostrou na sua última temporada no high school que tem uma variedade grande de jogadas. Na defesa mostra ser uma das melhores desta classe. Marca muito bem individualmente, consegue fazer uma boa marcação alta quando preciso e bloqueia bastante os arremessos adversários. Também pega bastante rebotes nos dois lados da quadra.

A deficiência que vejo nela é que o arremesso de média e longa distância pode ser melhorado.

Honrarias:

  • Fez parte do McDonald’s All-American Team em 2016.
  • Ela esteve na convocação da equipe americana sub-16.

%d blogueiros gostam disto: