E se o time americano fosse formado só por jogadores da NCAA

Desde 1992, nas Olimpíadas de Barcelona, que os Estados Unidos utilizam jogadores da NBA no seu elenco olímpico. O Dream Team formado marcou época e é referência em qualquer lugar do mundo. As gerações seguintes também tiveram times fortíssimos e com muito êxito. No entanto, antes disso, os times americanos eram formados apenas por jogadores amadores, que atuavam na NCAA. A força não era tão grande, mesmo com grandes jogadores do College, tais como David Robinson, Mitch Richmond e Danny Manning.

Difícil imaginar como seria o time americano formado apenas com jogadores universitários. Baseado no potencial e talento, o TimeOut Brasil traz qual seria o elenco do basquete americano.

Quinteto inicial:

Armador – Markelle Fultz (Washington) – Um dos melhores armadores do High School na última temporada, traria atleticismo e um bom arremesso do perímetro para o time americano.

Ala-Armador – Grayson Allen (Duke) – Cestinha da equipe, o ala-armador de Duke, seria a referência para arremessos do perímetro e de média distância.

Ala – Josh Hart (Villanova) – Pilar defensivo no perímetro, não é excelente em nenhum aspecto, mas cumpre muito bem seu papel. Jogador tático do elenco.

Ala-Pivô – Josh Jackson (Kansas) – Calouro de extrema força nas infiltrações e com bom potencial defensivo. É um ala que jogaria de ala-pivô em um small ball.  Excelente reboteiro.

Pivô – Thomas Bryant (Indiana) – Por mais que seja cru no ataque, brigaria no garrafão e faria frente aos pivôs de outros países. Com mais refino técnico no ataque, tornará um bom pivô.

Banco:

Monte Morris (Iowa State) – Melhor playmaker da equipe, viria nos momentos mais difíceis e de jogo na meia quadra. Pode criar seu próprio arremesso, mas é mais eficiente criando para os companheiros.

Lonzo Ball (UCLA) – Talento puro nas assistências e muito jovem. Faria parte do showtime com passes incríveis. Seu repertório no ataque é excelente criando para os companheiros. Alto para armador, tem um potencial defensivo interessante.

Jayson Tatum (Duke) – Ao lado de Allen, seria um dos scorers da equipe. Sexto homem do time, teria carta branca para arremessar e infiltrar.

VJ Beachem (Notre Dame) – Jogador coringa da equipe, poderia espaçar a quadra com um bom arremesso de três. Pode jogar de PF.

Jaron Blossomgame (Clemson) – Um dos mais atléticos do elenco, seria o jogador com mais enterradas do elenco. Potencial defensivo muito grande para substituir Hart e Jackson.

Harry Giles (Duke) – Mais um ala-pivô do elenco, poderia jogar de pivô em formações mais baixas. Maior potencial do College nesta temporada, ganharia experiência nas Olimpíadas.

Alec Peters (Valparaiso) – Stretch Four do elenco. Arremessa do perímetro com muita facilidade. Peca na defesa. Jogador importante para o espaçamento da quadra.

Técnico: Mike Krzyzewski (Duke) – Atual técnico da seleção. Como treina também no College, continuaria no cargo.

 

%d blogueiros gostam disto: