All Around: O Ofuscador de Gigantes – Unicaja Málaga

Um jogo, no último dia 30 do ano passado, confirmou o crescimento de uma força no basquete espanhol. Jogando no Palacio de Deportes Jose Maria Martin Carpena, na cidade de Málaga, o Unicaja Málaga ganhou do Real Madri, na prorrogação, por um placar de 99-92, tornando-se líder absoluto da Liga Endesa, com uma campanha de 12-2, na frente do Barcelona e da equipe madrilenha, que possuem a mesma campanha (10-4).

Já na temporada passada o Unicaja era destaque, com uma campanha de 23-11, terminando em quarto lugar na temporada regular. Aparentemente, tinha perdido jogadores importantes, como Nick Caner-Medley e Zoran Dragic. Em contraponto, trouxeram Vladimir Golubovic, William Thomas, Caleb Green, Jon Stefansson, Stefan Markovic e Konstantinos Vasileiadis.

A equipe se encaixou como nunca. O uruguaio Jayson Granger se firmou como o organizador da equipe ainda mais. Muito habilidoso, seus passes são a alegria das ponte-aéreas de Fran Vázquez, apesar da inconsistência arremessando. Já o espanhol de 2.09 metros teve um crescimento notável em relação a temporada passada, anotando 9.4 pontos e 6.1 rebotes em 20 minutos de ação por noite.

Vindos da Itália, os americanos William Thomas e Caleb Green conquistaram seus lugares na equipe. O alas vem com boas médias, sendo que o primeiro possui números de 9.9 pontos, 3.6 rebotes e 42.9% de aproveitamento do perímetro, enquanto o segundo de 7.7 rebotes e 3 rebotes, fazendo que os torcedores não sintam tanta falta de Nick Caner-Medley.

Ryan Toolson e Konstantinos Vasileiadis são os principais jogadores da rotação na posição 2. O primeiro é titular e cestinha da equipe, obtendo 12.7 pontos e 2.5 assistências por partida, acertando 57.1% em arremessos de três pontos. Já o grego, que jogava no Anadolu Efes da Turquia, faz em média 8 pontos por partida em modestos 16 minutos de quadra.

Um grande trunfo da equipe foi o crescimento de Mindaugas Kuzminskas. O lituano é um atleta versátil e atlético, que pode dar desde bons passes até completar enterradas e ponte-aéreas. Vem apresentando números de 10 pontos e 4.3 rebotes por jogo em 20 minutos. Números bem maiores que os da temporada anterior, que apontavam 5.2 rebotes e 2.5 assistências em 14 minutos. Vejam essa bela enterrada, com direito a um giro antes de chegar a cesta:

A equipe é dona da terceira melhor defesa e do segundo melhor ataque, a frente do Barcelona neste último quesito. Graças a isto, é dono do segundo melhor saldo de cesta (+7.9), com o ataque marcando 80.3 pontos e sofrendo 72.4 pontos.

Seu crescimento também foi constatado na Euroleague, ao passar de fase e ir pra o TOP 16, em grupo que tinha os poderosos Maccabi Tel Aviv e CSKA Moscow. Na temporada anterior havia parado nesta mesma fase, com uma vitória a menos que o Panathinaikos. A pedida desta vez é ir mais longe. Para isso terá que passar pelo CSKA, Olympiakos, Anadolu Efes e Fenerbahçe. Um missão nada fácil, convenhamos.

O que se espera no âmbito nacional é, ao menos, que chegue as semi-finais e dê trabalho para os clubes do “Él Clássico”, ou mesmo que seja uma surpresa da Copa del Rey. Nada é impossível para um clube que anda surpreendendo muita gente.

%d blogueiros gostam disto: