Resumo do Ano: Euroleague

Assim como foi feito ontem com a Liga ACB, dessa vez trago um resumão dos principais destaques da Euroleague até este ano. A temporada regular acabou e Dinamo Sassari, Unics Kazan, Cedevita, Limoges, Bayern München, PGE Turow Zgorzelec, Neptunas e Valencia foram eliminados.

O Melhor Time: CSKA Moscow. Segunda melhor defesa e melhor ataque, mesmo com a ausência de Milos Teodosic em alguns jogos, a equipe russa vem sendo o melhor time da competição, dominando a maior parte de seus adversários ao longo das rodadas. O único invicto da competição conta com excelentes atuações do francês Nando de Colo e do pivô russo Sasha Kaun para derrotar seus oponentes. O destaque da equipe, Teodosic, está com médias de 17.4 pontos e 8.4 assistências.

A decepção: Bayern München. Esperava-se muito mais da equipe, mesmo ela estando no “Grupo da Morte”. O clube alemão contratou nomes badalados como Dusko Savanovic e Bo McCalebb, mas foi incapaz de se classificar.

A quase-decepção: Galatasaray. Foi por pouco, muito pouco. Com salários atrasados, os turcos perderam jogadores durante a competição (Nathan Jawai, Pietro Aradori e Furkan Aldemir), mas carregado pelo porto-riquenho Carlos Arroyo, a equipe obteve a classificação no saldo de cestas em relação ao Neptunas (-15 contra -94).

A surpresa: Crvena Zvezda. Não só pela classificação, mas pelo basquete praticado. Com seis vitórias em dez jogos, o clube sérvio classificou-se como segundo colocado de seu grupo praticando um basquete bonito de se ver, acompanhado de uma fanática torcida, talvez a mais vibrante da Europa. Recheada de jovens talentos, a equipe tem como pilar o gigantão Boban Marjanovic, que será melhor abordado mais a frente.

A quase-surpresa: Neptunas. A equipe lituana tem sérias dificuldades, principalmente orçamentárias, de competir com os grandes. Mesmo assim dependia apenas de si mesma para se classificar. O problema é que no último jogo perderam de sonoros 103-65 contra o já eliminado (e decepcionante) Valencia. O destaque da equipe foi o ala Deividas Gailius, que obteve médias de 14.7 pontos, 4.8 rebotes e 2.5 assistências em cerca de 27 minutos por jogo.

O MVP: Este prêmio será dividido entre Tayler Rochestie, Boban Marjanovic e James Anderson. O primeiro apresentou médias de 20 pontos e 5.6 assistências, comandando os russos do Nizhny Novgorod a classificação. O segundo foi o pilar do time mais surpreendente da competição. O pivô de “apenas” 2.21 metros de altura obteve médias de 16.8 pontos e 10.7 rebotes, sendo o terror dos fantasies da Euroleague. Já o ex-jogador do Philadelphia 76ers comandou a boa campanha de um time mesclado de jogadores ou muito jovens ou muito veteranos do Zalgiris Kaunas, com médias de 17 pontos, 5.7 rebotes e 2.3 assistências.

O melhor jovem: Luka Mitrovic. O jogador sérvio foi peça importantíssima da rotação do Crvena Zvezda, com médias de 11.7 pontos, 5.9 rebotes e 3 assistências, jogando tanto de ala-pivô como pivô. O jovem deve ser selecionado do Draft deste ano, tendo basquete o suficiente para ser escolha de primeira rodada.

%d blogueiros gostam disto: