All Around: Trophy of Gold

Para aquele leitor que achava que não voltaria a associar música com basquete, estarei voltando a fazer isso. Depois de um longo hiato apresentarei um texto ligado a mais um artista ligado com o Rock and Roll e a música folk: Neil Young. Para conferir a primeira matéria basta clicar aqui.

Neil Young foi importante artista dos anos 60 para cá, fazendo parte do mítico grupo “Crosby, Stills, Nash and Young” e do “Buffalo Springfield”, além de uma notória e brilhante carreira solo. Buscando sempre ser relevante ao máximo, Young tinha como forte a composição, tendo feito letras belíssimas. Além disso possui uma voz suave inconfundível.

Neste post traremos a música “Heart of Gold”, que foi lançada em 1971, fazendo parte do álbum “Harvest”. É a música mais conhecida de Neil Young, notadamente marcada por belos solos de gaita.

“I wanna live, I wanna give / I’ve been a miner for a heart of gold / It’s these expressions I never give / Keeps me searching for a heart of gold / And I’m getting old / They keep me searching for a heart of gold / And I’m getting old” (“Eu quero viver, Eu quero doar / Eu tenho cavado em busca de um coração de ouro / São estas expressões que eu não abro mão / Que me mantém procurando por um coração de ouro / E estou envelhecendo / Eles me mantém procurando por um coração de ouro / Estou envelhecendo”)

A metáfora do coração de ouro. Vamos fazer de conta que o coração seja um troféu, como já citado no título. Um jogador já veterano que  cavou e doou muito durante sua carreira, mas ainda não conseguiu o “maldito” Larry O’Brien. Em busca do coração (leia-se troféu) de ouro, o veterano faz sacrifícios para buscá-lo, enquanto está envelhecendo, com o tempo contra. Mas enquanto está em atividade, ele tem motivações (expressões) para continuar tentando ganhar.

“I’ve been to Hollywood, I’ve been to redwood / I’ve crossed the ocean for a heart of gold / I’ve been in my mind, its such a fine line / That keeps me searching for a heart of gold / And I’m getting old / It keeps me searching for a heart of gold / And I’m getting old” (“Eu estive em Hollywood, Eu estive em Redwood / Atravessei o oceano por um coração de ouro / Eu estive em minha mente, é uma linha tão tênue / Que me mantém procurando por um coração de ouro / Estou envelhecendo / Me mantenho na busca por um coração de ouro / E eu estou envelhecendo”)

O jogador esteve em vários lugares, como Boston e Miami (Ray Allen mandou um abraço) para ir em busca do tal coração de ouro, atravessando o continente em conferência leste e oeste para buscar o título. Sem se apegar a laços afetivos com certo clube, o que mais importa para um atleta atualmente é conquistar o coração de ouro, não importa em que lugar.

A lei da vitória está implantada, ficando difícil se apegar  a um certo clube. Da mesma forma que busca-se o troféu, com coração = troféu; pode-se buscar o dinheiro, com barras = coração. A busca pelas barras de ouro pode fazer um jogador optar por dinheiro ao invés de títulos, como Carmelo Anthony.

Há o caso de quem já desfrutou dos troféus e agora só quer barras e recordes, como Kobe Bryant. Sua motivação não é mais ser competitivo e sim passar Michael Jordan, Kareem Abdul-Jabbar, Oscar Schmidt, Giba ou quem mais estiver pela frente.

Encerramos com esta pérola de “Heart of Gold” gravada por Johny Cash.

Gostaram da volta de mais música e basquete? Não deixem de comentar!

%d blogueiros gostam disto: