Kobe faz 44 pontos, mas Lakers perde mais uma

warriors_lakers

O Los Angeles Lakers (1-9) continua seu calvário na NBA. A franquia da California enfrentou seu rival de estado, o Golden State Warriors (8-2) e sofreu novo massacre, perdendo dessa vez por 136 x 115. O detalhe é que o Warriors chegou a liderar por quilométricos 38 pontos de diferença ao final do terceiro quarto, maior margem intrajogo contra o Lakers desde 1966.

Os angelinos vivem um grande dilema, já que têm uma escolha protegida no top 5 cedida ao Suns, ainda por ocasião da negociação que levou Steve Nash ao Staples Center. Logo, para se “garantir” no próximo recrutamento, tem que ser último ou penultimo na presente temporada para não depender da bolinha. Como o Sixers continua “invicto”, o Lakers no momento está exatamente em penultimo lugar.

Voltando ao jogo, um verdadeiro passeio do Warriors, como já salientado. Stephen Curry voltou aos números de MVP, após algumas atuações “abaixo da média”, contribuindo com 30 pontos e 15 assistências. O armador foi bem escorado pela supreendente atuação de Marrese Speights, que veio do banco com 24 pontos e 9 rebotes e pelo sempre eficiente Klay Thompson, que anotou 18 pontos.

Já os comandados de Byron Scott, com a tática “bola no Kobe e vamos orar”, viram seu principal ícone converter 44 pontos em 34 arremessos de quadra e 16 lances livres. Fora Bryant, menção apenas para Jordan Hill com 15 pontos e 11 rebotes. É realmente um ano crítico para a imensa e mal-acostumada torcida do Lakers, contemplada com um elenco muito abaixo da história da franquia, além de um Jeremy Lin que não consegue justificar como alguém aceitou pagar 14 MI de dólares por temporada para ele, ainda que exista todo o apelo midiático, notadamente no mundo oriental. É um fim de carreira triste para Kobe, que parece bastante incomodado com tal situação.

O Lakers já volta à quadra amanhã, para um complicado compromisso contra o Hawks, atuando na cidade da Coca-Cola. Já o Warriors terá longo descanso e só retorna a jogar na sexta-feira, recebendo Gordon Hayward e o Utah Jazz.

 

%d blogueiros gostam disto: