Novas regras na D-League

NBA D-League

A Liga de Desenvolvimento da NBA está dando aos técnicos a chance de desafiar marcações dos árbitros como acontece na NFL, mas estão retirando o recurso de poder fazer a falta intencional, normalmente no jogador que tem pior aproveitamento de lance-livre, conhecido como “Hack-a-” por exemplo.

A liga menor da NBA anunciou uma série de novas regras nessa quarta-feira (05) que acelerariam o jogo. O torneio começa na próxima sexta-feira (14).

Os times terão a oportunidade de substituir os jogadores sem ter que fazer o pedido de tempo e o número de faltas que resultariam na cobrança de lances-livres aumentará.

Chris Alpert, vice presidente da liga, falou que as mudanças trarão um impacto positivo e jogo ficará mais rápido, principalmente no final das partidas.

Ainda disse “Certamente essas mudanças resultarão em um jogo mais rápido no final. No fim dos jogos tanto da NBA quanto da D-League normalmente são sensacionais, mas as vezes podem ficar muito presos e esfriarem por conta do número de tempos pedidos. A esperança é que as partidas ganhem velocidade. Para isso estamos diminuindo o volume de interrupções e deixando todo atleticismo e técnica dos jogadores comandarem os finais dos jogos.”

A NBA testou o jogo com 44 minutos durante a pré-temporada. A Liga de Desenvolvimento foi mais além, seguindo as mudanças dos últimos anos, incluindo a redução de pedidos de tempo e diminuindo o tempo da prorrogação.

As novas regras incluem:

– Desafio de marcação pelo técnico: O técnico pode pedir um tempo e falar com os árbitros que está desafiando uma marcação. Isto seria revisto no mesmo instante e decidido se será mantida ou revertida a sinalização. Os times tem uma chance de desafio e ganharão outra chance em caso de sucesso. Na prorrogação, uma nova oportunidade de desafiar será dada. Faltas pessoais ou faltas no arremesso podem ser desafiadas. Já a “andada” (Traveling) ou “carregada” (palming) não.

– Progressão: O time com a bola pode substituir o jogador antes de uma reposição de bola. Não precisaria pedir tempo. Pode ser feito nos dois minutos finais do jogo ou nos dois minutos finais da prorrogação.

Hack a …: Alguns treinadores utilizam a técnica de fazer falta no jogador que possui um aproveitamento ruim de conversão de lance livre e muitos torcedores reclamam que tornam o jogo entedioso. A atual regra não permite que faça esse tipo de falta nos dois últimos minutos, mas Alpert pensa que estendendo para o jogo inteiro será melhor. Se o time cometer uma falta intencional, o outro time tem direito ao lance-livre e a posse de bola.

– Penalidade de Lance-livre: O time arremessará dois lances livres após a quinta falta no período e não depois da quarta falta, como é na regra atual.

A NBA usa a Liga de Desenvolvimento como teste para mudanças e, caso sejam benéficas, acaba implantando as novas medidas também.

%d blogueiros gostam disto: