A vigésima temporada de Kevin Garnett

Kevin Garnett

Ao entrar em quadra no TD Garden amanhã contra o Boston Celtics, curiosamente a franquia pelo qual conquistou seu único anel, Kevin Garnett estará iniciando sua vigésima temporada na NBA. Tal longevidade se explica pelo fato de ter sido recrutado diretamente do High School, com a quinta escolha do Draft de 1995, pelo Minnesota Timberwolves. Tal expediente atualmente é proibido, devendo o jogador cumprir ao menos o primeiro ano universitário para poder se eleger ao recrutamento.

Falando nos Wolves, Garnett é considerado o maior jogador da história da franquia, pelo qual atuou em 927 partidas, com impactantes médias de 20,5 pontos e 8,5 rebotes por jogo. A Camisa 21 fatalmente será aposentada em Minneapolis, algo abolutamente justo pelo quão representativo Kevin foi para o time e torcida. Sua trade em 2007 que o levou ao Boston Celtics envolveu uma quantidade enorme de jogadores, inclusive alguns com bom desempenho na Liga, como Al Jefferson e Gerald Green.

Em Massachusstes, Kevin conquistou seu único anel, num Big Three com Paul Pierce e Ray Allen, escorados por um jovem Rajon Rondo. Disputou ainda uma final de NBA em 2010, perdendo o título para os Lakers no Jogo 7. Garnett escreveu seu nome no TD Garden e no coração de toda a torcida celta, pela intensa defesa e inconfundível garra, aliadas a uma técnica acima da média.

Em 2013, numa discutível negociação com os Nets, Kevin chegou ao Brooklyn. A temporada passada foi talvez a sua pior na NBA, bastante sacrificado pela ausência de Brook Lopez na maior parte dos jogos, com pífias médias de 6,6 rebotes e 6,5 pontos por jogo. Mesmo assim, Garnett mostra entusiasmo nesse início, do que provavelmente deve ser a sua última temporada na Liga.

Sem dúvida alguma, Kevin Garnett fará falta. Indiscutivelmente, um dos maiores alas-pivô da história e possivelmente o jogador mais vibrante que a NBA já presenciou.

%d blogueiros gostam disto: