Nurkic e o Projeto de Dominância

Jusuf Nurkic

É bastante recorrente que equipes da NBA tenham elenco muito profundos e homogêneos, mesmo sem que a equipe se destaque ou tenha uma estrela. Essas equipes acabam conseguindo escolhas medianas em Drafts (escolhas 13 até em diante), mas os calouros acabam não sendo muito úteis, amargando o banco ou sendo projetos para o futuro.

O Denver Nuggets se parece muito com isso. A equipe tem um elenco profundo e cheio de role players interessantes, mas sem uma equipe chamativa. Com uma série de contusões, a equipe não era nem boa o suficiente para ir aos Playoffs nem fraca demais para um eventual tank. A equipe acabou tendo que se contentar com escolhas medianas. Com um elenco profundo, acabou escolhendo jovens que fatalmente amargarão o banco, ou ao menos pensamos que seria assim.

A equipe acabou optando por escolher o bósnio Jusuf Nurkic e o ala-armador Gary Harris. Porém a rotação conta com jogadores como JaVale McGee, Timofey “bom” Mozgov “pra você”, JJ Hickson, Darrell Arthur e Keneth Faried no garrafão. No perímetro, Harris disputaria vaga com Arron Afflalo e Randy Foye, tendo provavelmente mais chances que o pivô bósnio.

Acontece que Nurkic veio direto para a NBA, caminho que não costuma ser seguido por prospectos internacionais. E o mais intrigante é que o jovem vem se destacando no meio de todos os marmanjos. Ele mostra a inconsistência natural de um jogador jovem, mas apresentou ter ferramentas para ser extremamente dominante no futuro.

Nurkic chamava a atenção na Europa por ser muito eficiente em tempo limitado de quadra. Pela Liga Adriática, teve importantes médias de 11.7 pontos e 5.7 rebotes em 16.6 minutos. Na pré-temporada vem chamando a atenção por ter feito jogos de 15 rebotes em meros 18 minutos, ou de 15 pontos em 14 minutos. Vem com médias de 5.6 pontos, 8.7 rebotes e 1.1 tocos em 18.3 minutos. Expandindo isso para 36 minutos, temos excelentes números: 11 pontos, 17.1 rebotes e 2.2 tocos. Essas estatísticas mostram o que é Nurkic; um jogador muito forte (em alguns jogos da Liga Adriática parecia ser o mais forte em quadra mesmo aos 19 anos); excelente reboteiro, principalmente ofensivo; com talento ofensivo, graças ao ótimo jogo de costas para cesta; e ainda tem capacidade de distribuir tocos. São 2.12 metros de pura habilidade e refino.

O Problema de Jusuf é que Mozgov fez sua melhor temporada (fez um jogo de 29 rebotes!!!) e McGee mesmo sendo louco de pedra é útil. Quem não acha ruim é o Denver Nuggets, que conseguiu um bom talento internacional e terá a possibilidade de desenvolvê-lo lá, tendo a oportunidade de se tornar um jogador valiosíssimo para o GM, seja para futuras trocas, seja para uma futura titularidade.

Nurkic caiu em uma equipe aberta a estrangeiros, logo terá totais condições de se adaptar. Claro que ele ainda precisa se provar, mas ele trás consigo características próximas as de DeMarcus Cousins e Nikola Pekovic, ambos jogadores consolidados na NBA. A oportunidade está aberta para ele, quiçá ele arrume um espaço na rotação (deve estar rezando para Mozgov e McGee se machucarem).

O mais novo jogador do Nuggets ainda é um projeto, mas a equipe acertou em cheio em draftá-lo. A equipe conta com um elenco mediano e apostar em um prospecto com potencial pode ser uma ótima ideia para achar um astro, em um momento do Draft onde se costuma achar role players. Caso Nurkic se comprove um excelente jogador, veremos equipes chorando por draftar algum possível bust (Joel Emibiid ora para não ser uma indireta) e veremos a contínua expansão da liga aos talentosos jovens oriundos do velho continente.

Sretno Nurkic!

%d blogueiros gostam disto: